A camada de Dua

Amplamente divulgada pela web, a nova descoberta de Harminder Dua – Professor de Oftalmologia e Ciências da Visão da Universidade de Nottingham – identifica uma nova camada na córnea humana. A recém-batizada camada de Dua é a sexta camada conhecida.

Localizada entre o estroma e a membrana de Descemet, a camada é bastante fina (15 microns) mas incrivelmente resistente – suporta entre 1,5 a 2 Bar de pressão – e é impermeável ao ar.

Camada de Dua
Esquema representativo das várias camadas da córnea.

“Tendo identificado esta nova e distinta camada no interior do tecido da córnea, podemos realizar cirurgias mais seguras e simples para os pacientes”. Refere Dua no press release da universidade.

Os investigadores acreditam que a nova descoberta poderá vir a ter importantes implicações médicas, nomeadamente no melhoramento de algumas técnicas cirurgicas.

A técnica da “bolha grande”- big bubble technique (BB) – utilizada no transplante de córnea, consiste na injeção de bolhas de ar no estroma. Por vezes, essa bolha de ar rebenta, danificando o olho do paciente. Devido à sua resistência, a injeção de ar sob a camada de Dua poderá levar a resultados mais seguros (1).

Os livros de anatomia ocular terão de ser re-escritos!

Além dos benefícios para a cirurgia, a nova descoberta poderá ainda abrir caminho para o conhecimento de algumas condições patológicas do segmento posterior da córnea. Entre os quais citamos o fenómeno de Hidropsia.

A Hidropsia da córnea é uma condição rara que pode ser observada em pacientes com queratocone avançado. Caracteriza-se pela rotura das membranas internas da córnea e posterior acumulação de fluído proveniente do interior do olho. O tecido da córnea torna-se edematoso e opaco, prejudicando a visão do paciente. Está ainda associado a um quadro de dor e fotofobia intensa.

cornealhydrops
Hidropsia corneal aguda em paciente com queratocone.

Harminder Dua lança ainda a hipótese de a hidropsia da córnea estar diretamente relacionada com um deslocamento da nova camada, promovendo assim acumulação de líquido no tecido (1).

Leia o resumo do artigo aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s